This website uses cookies to ensure you get the best experience on our website. Learn more

Sonda Voyager 1 religa Seus Motores Depois de 37 Anos - Space Today TV Ep.995

x

Sonda Voyager 1 religa Seus Motores Depois de 37 Anos - Space Today TV Ep.995

Se você tentar ligar seu carro parado depois de décadas, muito provavelmente ele não vai responder.

Mas a tecnologia espacial é realmente espetacular.

Todo mundo aqui lembra da sonda Voyager 1?

A Voyager 1 é a sonda mais rápida, e que está mais distante já feita pelo homem, ela é o primeiro objeto a entrar no espaço interestelar, ou pelo menos está muito perto dele.

Ela foi lançada ao espaço, a 40 anos atrás, e durante a sua viagem pelo sistema solar, sobrevoou os planetas Júpiter e Saturno, além de sobrevoar satélites naturais importantes desses dois planetas.

A última vez que a Voyager 1 teve seus foguetes acionados foi em 8 de Novembro de 1980, depois de passar por Saturno.

Mas, 37 anos depois, no dia 28 de Novembro de 2017, os engenheiros da Voyager 1 acionaram seus motores novamente, e testaram a habilidade de orientar a sonda usando pulsos de 10 milissegundos.

Para saber se o comando foi dado e recebido com sucesso, os engenheiros tiveram que esperar 19 horas e 35 minutos, esse foi o tempo que o sinal viajou até chegar na antena de Goldstone na Califórnia.

Tudo isso foi feito e testado para tentar estender mais um pouco a vida da sonda Voyager 1, e com isso tentar entender um pouco mais sobre o meio interestelar.

Embora ela não nos mande mais imagens, e nem dados tão completos, ela possui uma maneira de contar as partículas e também a intensidade tanto do vento solar, como do que existe no meio interestelar, e a partir disso, os pesquisadores tiram suas conclusões.

O mesmo tipo de teste será feito com a Voyager 2 que possui esses mesmos motores, e devem estar em lehor estado do que o da Voyager 1. LEmbrando que a Voyager 2 ainda não alcançou o meio interestelar. O que deve acontecer nos próximos anos, então é importante também ter a sonda funcionando e com a vida um pouco mais estendida.

Tá aí, para quem sempre pergunta da Voyager, uma notícia rápida, mas muito interessante, seu motores foram religados com sucesso, 37 anos depois.

Fonte:



Link Para a Loja:



Link Para o Vídeo da Loja:



SciCast Sobre Astronomia Amadora:



Oposição de Vesta:





=====================================================

Seja meu Patrão:



=====================================================

Seja um apoiador do Space Today:



=====================================================

Conheça a Agência Marcos Pontes e torne o seu sonho de conhecer o ESO em realidade:





=====================================================

Seja meu Patrão:



=====================================================

Apoio e apresentação:



A nova casa do SciCast

=====================================================

Science Vlogs Brasil:







=====================================================

Meus contatos:

BLOG:

FACEBOOK:

TWITTER:

YOUTUBE:

Obrigado pela audiência e boa diversão!!!

=====================================================

Sonda lançada há 41 anos chega ao espaço interestelar

Após 41 anos de viagem pelo sistema solar, a sonda Voyager 2 chegou a uma zona do espaço onde o vento solar já não sopra, a 18 bilhões de quilômetros da Terra, informou a Nasa nesta segunda-feira.. A esta distância extraordinária, cada mensagem da Voyager 2 demora 16 horas e meia para chegar à Terra, enquanto, por exemplo, o tempo de comunicação à velocidade da luz com Marte é de apenas oito minutos.. A grande notícia desta segunda-feira é a confirmação de que a Voyager 2 saiu da heliosfera, a bolha protetora de partículas e de campos magnéticos criados pelo sol, e que já atravessou a heliopausa, o limite além do qual o vento solar não chega.. Tecnicamente, porém, a sonda continua estando no sistema solar, cuja fronteira é estabelecida nos confins da nuvem de Oort, muito depois de Plutão, e que a Nasa compara com uma grande bolha em volta do sistema solar.. Esta nuvem, composta provavelmente por bilhões de corpos gelados, se mantém sob a influência da gravidade do sol e Voyager 2 necessitaria 30.000 anos para atravessá-la.. Trata-se da missão mais longa em atividade da agência espacial americana, e seus instrumentos continuam enviando observações hoje.. Lançada quando Jimmy Carter (1977-1981) era presidente dos Estados Unidos, sobrevoou Júpiter em 1979, e depois Saturno, Urano, e Netuno em 1989.. Como continuava funcionando depois de sobrevoar Netuno, a Nasa prosseguiu com a missão, mas os engenheiros desligaram suas câmeras para economizar energia.. Em 2012 se tornou a missão mais longa e mais mítica da agência espacial americana.. Sua sonda gêmea, Voyager 1, que deixou a Terra 16 dias depois, chegou ao espaço interestelar em 2012 e também continuou funcionando, mas um de seus instrumentos cruciais para medir o vento solar, batizado Plasma Science Experiment, quebrou em 1980.. Agora é ainda melhor, disse Nicky Fox, diretor da divisão de heliofísica da Nasa. As informações enviadas pelas Voyager sobre os limites da influência do Sol fornecem uma visão inédita de um território verdadeiramente virgem.. As duas sondas estão muito bem, disse Suzanne Dodd, diretora do departamento que se ocupa das comunicações interplanetárias da agência.. Segundo ela, ainda podem durar mais cinco ou seis anos, já que seu único limite é a perda progressiva de capacidade de seu gerador de radioisótopos, que proporciona a energia necessária para a desintegração de materiais radioativos..
x

Space Today TV Ep.81 - A Missão da Sonda Voyager E O Limite do Sistema Solar

- A sondas da missão Voyager foram lançadas em 1977 com 16 dias de separação, a Voyager 2 foi lançada em 20 de Agosto de 1977, e a sonda Voyager 1 em 5 de Setembro de 1977, ambas de Cabo Canaveral na Flórida, com o objetivo primário principal de realizar o chamado Grand Tour pelo Sistema Solar externo, visitando os planetas Júpiter, Saturno, Urano e Netuno.

- Com isso, a missão Voyager completou pela primeira vez o reconhecimento de todos os objetos do Sistema Solar. Reconhecimento que durou até o ano de 2015 quando a sonda New Horizons visitou o planeta anão Plutão.

- O grande astrônomo, e divulgador científico Carl Sagan participou de forma decisiva na concepção e na operação da missão Voyager pelo Sistema Solar.

- Por exemplo, foi dele a ideia de equipar as duas sondas com um disco de ouro, levando informações, saudações, músicas, imagens da Terra e de seus habitantes, para que se alguma civilização extraterrestre cruzasse com as sondas pelo espaço sideral pudessem fazer contato. Existe um livro que explica todos os detalhes desse disco.

- Foi de Carl Sagan também a ideia de virar a sonda Voyager 1 para a Terra, quando ela estava na órbita de Saturno para fazer o retrato do Sistema Solar e registrar a famosa imagem o Pálido Ponto Azul, imagem essa que valeu uma das mais belas e impressionantes reflexões sobre o verdadeiro lugar da humanidade na imensidão do cosmos.

- Além disso, as missões Voyager foram responsáveis por descobrirem que Io, a lua de Júpiter possui vulcões ativos, e registrar com detalhes impressionantes os anéis de Saturno.

- A sonda Voyager 1 por ter terminado antes sua turnê pelo Sistema Solar, embarcou nessa aventura um pouco antes e por conta disso, ela já está fora do nosso Sistema Solar. Esse feito histórico aconteceu no ano de 2012 quando a sonda deixou os planetas e o vento solar para trás.

- Desde então começou uma grande quantidade de pesquisas para mostrar onde realmente se encontra a sonda Voyager, será que ela está mesmo fora do Sistema Solar, ou não, mas a conclusão é que sim, ela já se encontra fora do Sistema Solar.

- Isso é espetacular, pois, pela primeira vez, os astrônomos podem estudar o que acontece no meio interestelar, e recentemente, um trabalho publicado no AStrophysical Journal Letters, mostrou que a sonda Voyager 1 está ajudando os cientistas a resolverem grandes mistérios sobre o meio interestelar.

- O estudo mostra evidências muito fortes de que a Voyager 1 se encontra numa região onde o campo magnético está sendo defletido pelo vento solar.

- Os pesquisadores acreditam que em 10 anos a sonda Voyager 1 irá entrar numa região mais pura do meio interestelar onde o vento solar não tem nenhuma influência significante no campo magnético.

- A Voyager 1 ao entrar no meio interestelar deixou para trás a heliosfera, ou seja, a bolha de vento solar que existe ao redor do Sol e dos planetas.

- Nessa região a densidade de partículas foi 40 vezes maior fora da borda do que dentro dela, confirmando então que a sonda deixou a heliosfera, porém a direção do campo magnético está 40 graus fora do que havia sido previsto pelos cientistas.

- Esse novo estudo sugere que essa discrepância existe pois a Voyager 1 está num campo magnético mais distorcido logo fora da heliopausa, do que na borda entre o vento solar e o meio interestelar.

- analisar e entender esse tipo de dado é muito interessante, pois, podemos tentar preve com maior precisão, quanto tempo levará até que a Voyager 1 alcance uma região do meio interestelar menos perturbada, de modo que possamos começar a entender o que acontece entre o Sol e uma outra estrela.

- A Voyager 2 dentro de mais alguns anos, também cruzará essa fronteira, irá coletar mais dados e então muito provavelmente teremos uma imagem, mesmo que conceitual, completa da heliosfera e da região de influência do Sol, além de podermos delimitar com grande precisão onde começa o meio interestelar.

Press Release no site do JPL:



Artigo Científico:



Vídeo Documentário sobre o Grand Tour da missão Voyager no Sistema Solar:



Documentário sobre o Disco de Ouro da Voyager, todos os sons e imagens do disco:



Meus contatos:

BLOG:

FACEBOOK:

TWITTER:

YOUTUBE:

Obrigado pela audiência e boa diversão!!!

O que a Voyager 1 e 2 viram durante sua jornada fora do sistema solar?

✪ QUER FAZER UM CONTATO PROFISSIONAL? ENTÃO ENTRE EM CONTATO:
✉ universocuriosoofficial@gmail.com
x

Voyager I: Motores ligados após 37 anos

Notícia astronômica sobre o religamento com sucesso de 4 propulsores da sonda Voyager I após 37 anos

Voyager 2 Entra no Espaço Interestelar

x

ONDE ESTÃO AS CIVILIZAÇÕES ALIENÍGENAS AVANÇADAS? | SPACE TODAY TV EP1866

PARA SE INSCREVER NO EVENTO COMEMORATIVO DOS 50 ANOS DO HOMEM NA LUA QUE ACONTECERÁ EM SÃO PAULO EM 21 DE JULHO DE 2019 ACESSE:



-------------------------------------------------------------------------------

SPACE TODAY STORE:



-------------------------------------------------------------------------------

Para fazer parte do seleto grupo dos apoiadores!!!



-------------------------------------------------------------------------------

E aí, será que a verdade está realmente lá fora?

Se está não sei, mas aparentemente seres alienígenas altamente tecnológicos parecem não estar.

Ou pelo menos ainda não encontramos.

Acabou de ser lançada a maior base de dados já pesquisada pelo Projeto SETI, que pesquisou 1327 estrelas próximas atrás de sinais de vida inteligente.

Essa busca gerou dois artigos um deles publicado no The Astrophysical Journal, onde o seu principal autor, Danny Price diz:

“Não tem nenhuma civilização maravilhosamente avançada tentando se comunicar com a gente através de transmissores incrivelmente potentes”.

Mas ele também diz que possam existir outras explicações para não termos achado nenhuma civilização.

Podemos estar procurando com as frequências erradas, ou os sinais podem estar sofrendo interferência, ou o sinal deles é muito apagado e não conseguimos ainda detectar.

Essa busca do projeto SETI foi conduzida através da Breakthrough Listen um projeto de 10 anos e 100 milhões de dólares financiado pelo bilionário russo Yuri Milner para tentar encontrar algum tipo de tecnoassinatura.

Para isso eles usaram dois dos maiores radiotelescópios do mundo, o Green Bank e o Parkes.

Foram analisados 1 petabyte de dados observando mais de 1000 estrelas num raio de 160 anos-luz da Terra.

Os sinais que foram captados, logo eram analisados e a origem era mundana, celulares, ou satélites.

Todo o dado está disponível para quem quiser pesquisar e isso faz com que essa seja a maior liberação pública de dados do projeto SETI.

Obviamente o processamento dos dados não é algo fácil, mas está tudo aí na descrição para quem quiser se aventurar.

O projeto pretende usar novos radiotelescópios como o MeerKAT na África do Sul para expandir o número de estrelas.

E o importante é não parar.

Os pesquisadores dizem que se um dia encontrarem essa talvez será a maior descoberta já feita pela humanidade.

E aí, será que um dia vamos encontrar?

Será que já encontramos e ninguém quer falar?

E se divulgassem a descoberta, qual seria a reação?

Deixem tudo aí nos comentários.

#SETI #Vida #CivilizacoesInteligentes

Fontes:





Será Que Devemos Deixar A Terra Até 2600? - Space Today TV Ep.954

Numa palestra recente na China Stephen Hawking disse que em 2600 a Terra irá se transformar numa bola de fogo e que devemos deixar o planeta até lá. Vamos bater um papo sobre mais essa declaração polêmica desse grande cientista.

Para assistir a palestra inteira do Stephen Hawking, acesse esse link:




Link Para a Loja:



Link Para o Vídeo da Loja:



SciCast Sobre Astronomia Amadora:



Oposição de Vesta:





=====================================================

Seja meu Patrão:



=====================================================

Seja um apoiador do Space Today:



=====================================================

Conheça a Agência Marcos Pontes e torne o seu sonho de conhecer o ESO em realidade:





=====================================================

Seja meu Patrão:



=====================================================

Apoio e apresentação:



A nova casa do SciCast

=====================================================

Science Vlogs Brasil:







=====================================================

Meus contatos:

BLOG:

FACEBOOK:

TWITTER:

YOUTUBE:

Obrigado pela audiência e boa diversão!!!

=====================================================

Voyager 1 e o som interestelar

A sonda espacial Voyager 1 é o objeto humano que mais longe já foi no espaço e trouxe diversas informações de lá para nós, recentemente nos enviou o surpreendente som do espaço interestelar.

Não se esqueça de inscrever-se no canal;
Se gostou, clique em gostei;
Compartilhe o video nas redes sociais;
Deixe seu comentário;

Entre na nossa comunidade no Facebook:



Ajude o canal a crescer.

Se gosta de games acesse o canal:

#16-A Sonda "VOYAGER 1" Não existe. [A Terra é Plana]

-------------------------------------------------------------------
Video: Nasa descreve Domo como Escudo Invisível:


-------------------------------------------------------------------

#ATerraéPlana
#SaiaDaMatrix
#UnidosPelaVerdade
x

OS 40 Anos da Missão da Sonda Voyager - Guia do Espaço 40 | Bláblálogia

No dia 5 de Setembro de 2017 comemorou-se os 40 anos da missão das sondas Voyager. Em Agosto e Setembro de 1977 duas sondas gêmeas partiram para aquilo que foi chamado de Grand Tour do Sistema Solar, pela primeira vez tivemos imagens detalhadas dos planetas externos do Sistema Solar, além de termos descobertos grandes surpresas. É complicado resumir 40 anos de história em um único vídeo, mas tentamos fazer isso. Espero que gostem, e não deixem de comentar!!!

Link para a narração do Guilherme Briggs do Pálido Ponto Azul:



Curta a Página BláBláLogia:
Nos siga no Twitter: @BlaBlalogia

Arte, introdução e finalização criados por Caique Oliveira// xHardbass.

Voyager - Olhando a Terra a distancia

Se imaginando como parte da sonda Voyager, Carl Sagan fez um relato sobre a forma como somos vistos na imensidão do Universo.
x

FANTÁSTICO - A SONDA VOYAGER DEIXA O SISTEMA SOLAR

A Possibilidade de Vida Em Europa - Space Today TV Ep.1125

Europa, junto com Encélado e Titã seriam os mundos no nosso Sistema Solar mais digamos, propícios para que a vida possa se desenvolver.

Europa possui uma crosta de gelo de aproximadamente 10 km de espessura, e abaixo dela, abriga um oceano de água líquida, que pode ter até 100 km de profundidade.

A proximidade com o planeta Júpiter, e a interação gravitacional com o planeta, faz com que, embora na sua superfície a temperatura chegue próxima do zero absoluto, o oceano submerso é quente, já que o satélite sofre uma intensa força de maré.

Como eu falo aqui em geologia, os geólogos usam estudos de análogos na Terra para entender, por exemplo, como é a geologia de Marte, no caso da vida, os astrobiólogos usam também estudos de análogos na Terra, para entender se por acaso, Europa, Encélado, Titã ou outros mundos poderiam abrigar a vida.

Um grupo de astrobiólogos, liderados pelo Douglas Galante da missão Garatea e pesquisador da Universidade de Sào Paulo, fez exatamente isso, procurou na Terra, análogos para entender se a vida poderia existir em Europa.

O grupo de pesquisadores estudo a Mina de Ouro Mponeng na África do Sul.

A 2.8 km de profundidade, eles encontraram traços de grandes mudanças relacionadas com a história da vida na Terra e um contexto que é análogo ao de Europa.

Eles descobriram uma bactéria, que sobreviveu dentro da mina, sem a luz do Sol.

Nas profundezas da mina existem vazamentos de água através de fraturas nas rochas que possuem ur6anio radioativo, o urânio quebra as moléculas de água e produz radicais livres que atacam as rochas ao redor produzindo sulfatos. A bactéria usa o sulfato para sintetizar um nucleotideo responsável por armazenar energia nas céulas.

Essa é a primeira vez que se descobre um ecossistema sobrevivendo à base de energia nuclear.

Esse ambiente é muito parecido com o que existe no assoalho do oceano de Europa.

Como eu já falei aqui, para a vida se desenvolver além da água é necessário ter uma fonte de energia, essas fontes são as emanações hidrotermais, semelhantes àquelas onde na Terra, a vida deve ter começado.

A atividade biológica é baseada nas diferenças de concentração de moléculas, íons, ou elétrons, em diferentes regiões, isso acaba produzindo um fluxo numa certa direção, permitindo assim a ocorrência da fotossíntese, respiração celular, produção de nucleotídeos e outros processos comuns para o início da vida.

O grupo do douglas avaliou como o desequilíbrio químico em Europa poderia ser iniciado pela emanação de água levando a uma cadeia de reações entre a água e os elementos químicos encontrados na crosta de europa.

Usando a Terra como base novamente, eles estimaram a concentração de tório, urânio e potássio em Europa e com isso puderam estimar a quantidade de energia liberada que interage com a água para a geração de radicais livres.

Tudo isso leva a crer que o assoalho oceânico de Europa oferece condições similares àquelas encontradas na Terra nos seus primeiros bilhões de anos de vida.

Óbvio que faltam dados, que devem vir com a missão Europa Clipper que terá papel fundamental para que se possa entender se existe vida em europa, como ela se formou, e se pode haver vida em outras regiões do universo.

Esse é o trabalho fundamental dos astrobiólogos atualmente.

Parabéns para a equipe brasileira liderada pelo Douglas Galante.

Fonte:



Artigo:



Padrim do Space Today Para a Volta das Lives!!!



Seja meu Patrão:



=====================================================

Seja um apoiador do Space Today:



=====================================================

Conheça a Agência Marcos Pontes e torne o seu sonho de conhecer o ESO em realidade:





=====================================================

Seja meu Patrão:



=====================================================

Apoio e apresentação:



A nova casa do SciCast

=====================================================

Science Vlogs Brasil:







=====================================================

Meus contatos:

BLOG:

FACEBOOK:

TWITTER:

YOUTUBE:

Obrigado pela audiência e boa diversão!!!

=====================================================

UMA NOVA TEORIA SOBRE O SURGIMENTO DA VIDA NA TERRA | SPACE TODAY TV EP.1682

***** PARA FAZER A INSCRIÇÃO NO CURSO DE ASTRONOMIA USE O LINK ABAIXO, INSCRIÇÕES ATÉ SEGUNDA-FEIRA, DIA 28 DE JANEIRO DE 2019*****

sun.eduzz.com/100359

--------------------------------------------------------------------

**** CONHEÇA A LOJA OFICIAL DO SPACE TODAY!



Camisetas, e muitos produtos para vocês. Visite!

-------------------------------------------------------------------------------

Para fazer parte do seleto grupo dos apoiadores!!!




Para comprar o ingresso na Campus Party Com Desconto:

use:

#SPACETODAYNACPBR12



Como a vida surgiu na Terra?

Está outra pergunta que incomoda muito a todos, principalmente aos cientistas planetários, astrônomos, biólogos, e geólogos.

No início do sistema solar, a cerca de 4.4. bilhões de anos atrás, a Terra era pequena, como Marte é hoje, ela tinha um núcleo e um manto, mas esse manto era pobre em elementos como nitrog6enio, carbono e enxofre, elementos esses essenciais para a vida.

Desse modo, algo deve ter acontecido com o nosso planeta para que elementos viessem parar aqui e dessem origem para a vida.

Uma das hipóteses mais faladas é o impacto de asteroides, principalmente os asteroides carbonáceos condritos, nessa época o Sistema Solar era um lugar conturbado e muitas colisões ocorriam, mas esses asteroides podem ter trazido os elementos voláteis para o nosso planeta.

Um ponto a favor dessa hipótese é que as razões de diferentes isótopos de nitrogênio, carbono e hidrogênio na Terra se ajustam com a dos asteroides e com as de meteoritos encontrados no nosso planeta.

O ponto contra é que a razão de carbono e hidrogênio é muito diferente, enquanto que nos meteoritos a razão de carbono para nitrogênio é de 20 para 1, na Terra, é de 40 para 1.

Então para tentar explicar essa discrepância, um grupo de pesquisadores fez a seguinte pergunta, e se o choque com outro planeta tivesse trazido esses elementos para a Terra?

A Terra pode sim ter colidido com muitos planetas no início do sistema solar, existe até a hipótese, talvez a mais válida de que a Lua tenha se formado numa dessas colisões.

Então os pesquisadores foram no laboratório e recriaram condições de alta temperatura e pressão, na qual o núcleo do planeta se formou.

Adicionaram outros elementos, variaram a temperatura e a pressão e criaram cenários onde esses elementos poderiam se dividir entre o núcleo e o resto do planeta.

Depois eles foram para o computador e rodaram simulações, inserindo valores de carbono, nitrog6enio e enxofre encontrados nas camadas mais externas da Terra juntamente com o comportamento dos voláteis.

E depois de rodar 1 bilhão de simulações, chegaram a conclusão que o cenário mais provável seria que a Terra colidiu com um objeto que tinha aproximadamente o tamanho de Marte, e que continha cerca de 25 a 30% de enxofre em seu núcleo.

Um cenário que é muito parecido com o cenário mais defendido sobre a formação da nossa Lua.

Até mesmo pesquisadores que não participaram da pesquisa estão animados com os resultados, já que isso é na verdade o resultado de anos de trabalhos feitos por diferentes grupos de pesquisa ao redor do mundo.

Podemos estar chegando bem perto de entender como a vida surgiu no nosso planeta, o que seria muito interessante para podermos entender a possibilidade de vida em outros cantos do universo.

#VidaNaTerra #Vida

Fonte:



Artigo:

x

TV Globo - Sonda Voyager atinge o limite do Sistema Solar

Resolvido o Mistério do Sinal Wow! - Space Today TV Ep.735

Acho que todo mundo aqui conhece o famoso sinal WOW!

Bem, para quem não conhece, em 1977, astrônomos estavam procurando por vida alienígena, usando uma antena em Ohio, quando um sinal muito forte foi registrado e o operador da antena escreveu do lado do sinal, a palavra Wow!

O sinal com duração de 72 segundos veio da constelação de Sagittarius e não se ajustava a nenhum objeto conhecido.

Pronto, receita perfeita, um sinal, ouvido por uma antena na Terra, forte, e que não se ajusta a nada, só pode ser o contato com uma civilização extraterrestre.

E por assim ficou, mas, como a ciência não desiste, não acredita, apenas pesquisa, 40 anos depois esse mistério foi resolvido.

O Professor Antonio Paris gastou um ano da sua vida investigando o problema. Ele usou registro celestes e descobriu que dois cometas desconhecidos passavam pela Terra no dia 15 de Agosto de 1977, o dia do registro do Wow!

Esses cometas foram descobertos em 2006 e no ano passado o Professor Paris disse que a nuvem de gás hidrogênio que envolvia o cometa poderia ter gerado o sinal.

Mas os cientistas precisaram esperar até esse ano para poder provar.

Agora, em 2017, quando os cometas passaram pela Terra, o sinal registrado foi idêntico ao Wow! registrado em 1977.

O Professor Paris mostrou que a nuvem de hidrogênio que envolve o cometa à medida que a luz do Sol derrete o gelo na superfície do cometa se estende por milhões de quilômetros ao redor do cometa, e emite uma intensa radiação, radiação essa que geraria o sinal igual ao Wow!

O cometa, ou melhor um par de cometas que pode ter causado esse sinal. Os cometas são o 266P/Christensen e o P/2008 Y2 (Gibbs), eles estavam passando perto da Terra na direção da estrela Chi Sagittarii.

Esses cometas não haviam sido detectados até o ano de 2006, e agora os estudos mostram que eles foram os responsáveis pelo sinal Wow!

E aí, alguém ficou decepcionado? Deixem aí nos comentários.

Live Com Lauristron da BRAMON:



Live no Aviões e Músicas:



Fonte:





Artigo:



Link Para a Loja:



Link Para o Vídeo da Loja:



SciCast Sobre Astronomia Amadora:



Oposição de Vesta:





=====================================================

Seja meu Patrão:



=====================================================

Seja um apoiador do Space Today:



=====================================================

Conheça a Agência Marcos Pontes e torne o seu sonho de conhecer o ESO em realidade:





=====================================================

Seja meu Patrão:



=====================================================

Apoio e apresentação:



A nova casa do SciCast

=====================================================

Science Vlogs Brasil:







=====================================================

Meus contatos:

BLOG:

FACEBOOK:

TWITTER:

YOUTUBE:

Obrigado pela audiência e boa diversão!!!

=====================================================

Bactéria Extraterrestre na ISS? - Space Today TV Ep.989

Agora ferrou, podem dizer que eu sempre estava errada, foi descoberta vida extraterrestre...será mesmo?

Bem, a história está pipocando por todo lado, a tal da bactéria que foi encontrada no lado de fora da ISS.

Tudo isso, porque o cosmonauta Anton Shkaplerov disse que a tal da bactéria veio do espaço externo.

A alguns anos atrás, Shklaperov fez uma caminhada espacial, e durante a caminhada, ele levou uns cotonetes para passar nos vidros da estação e em algumas peças para verificar possíveis vazamentos.

Porém, o que os cotonetes captaram foram bactérias, que ele diz que não estavam no lado de fora do módulo antes de terem sido levadas para a ISS.

Essas bactérias nesse momento estão sendo estudadas em laboratórios na Terra, mas a princípio não precisamos entrar em pânico e nem correr para as montanhas, pois elas não oferecem risco nenhum.

Na verdade, as bactérias foram levadas para a estação de forma acidental em tablets que são usados pelos astronautas e que ficaram muito tempo na ISS para estudar o comportamento do material no espaço.

Esse é um caso típico de contaminação como nós sempre falamos aqui, existem protocolos, níveis de descontaminação pelo qual passam os equipamentos, e uma esterilização completa de instrumentos para a ISS não é algo fácil.

A confusão toda começou porque Shkaplerov conversou com a Agência de Notícias Russa TASS e a partir daí essa notícia começou a se espalhar pelo mundo todo.

Shkaplerov poderá tirar a prova dos nove, ele volta para a ISS em Dezembro para uma terceira jornada a bordo do laboratório espacial.

E aí, o que você acha, fomos invadidos e já era? É apenas contaminação? Ou é tudo sensacionalismo barato?

Fontes:












Link Para a Loja:



Link Para o Vídeo da Loja:



SciCast Sobre Astronomia Amadora:



Oposição de Vesta:





=====================================================

Seja meu Patrão:



=====================================================

Seja um apoiador do Space Today:



=====================================================

Conheça a Agência Marcos Pontes e torne o seu sonho de conhecer o ESO em realidade:





=====================================================

Seja meu Patrão:



=====================================================

Apoio e apresentação:



A nova casa do SciCast

=====================================================

Science Vlogs Brasil:







=====================================================

Meus contatos:

BLOG:

FACEBOOK:

TWITTER:

YOUTUBE:

Obrigado pela audiência e boa diversão!!!

=====================================================

Space Today TV Ep 81 A Missão da Sonda Voyager E O Limite do Sistema Solar

ADEUS SISTEMA SOLAR VOYAGER QUEBRA O DOMO E ESTÁ NO ESPAÇO INTERESTELAR

ADEUS SISTEMA SOLAR VOYAGER QUEBRA O DOMO E ESTÁ NO ESPAÇO INTERESTELAR.
Pela segunda vez na história, um objeto feito pelo homem alcançou o espaço entre as estrelas. A sonda Voyager 2 da NASA agora saiu da heliosfera - a bolha protetora de partículas e campos magnéticos criados pelo Sol.

Shares

x

Check Also

x

Menu